terça-feira, 15 de junho de 2010

Fanatismo e gostar de futebol nao sao a mesma coisa

E um dos meus posts do ano passado eu falei sobre eu nao ter uma nacionalidade, de me sentir um cidadao do mundo e neste momento de copa do mundo isso fica ainda mais evidente. Nao tenho predilecao por qualquer pais (confesso que ate prefiro que os underdogs ganhem. Veja no google a traducao dessa expressao). Assisto a alguns jogos apenas e de forma neutra sem me envolver emocionalmente porque para mim nao diz muito quem ganha ou perde. E uma analise fria, mas realista, mas no fim das contas, minha vida segue igual e a da grande maioria das pessoas tambem. Na real, quem ganha mesmo com tudo isso e realmente deve celebrar muito saos os organizadores e patrocinadores do evento. E que ninguem venha me chamar de antipatriota ou “traidor” porque tenho uma lista enorme de justificativas logicas para provar que ser patriota nao tem absolutamente nada a ver com torcer por “ seu pais” em qualquer modalidade esportiva ou ir lutar na guerra por uma causa imbecil que e orquestrada pelos lideres de uma nacao. E antes que alguem pense que nao jogo futebol explico que fui ja ate torcedor de torcida organizada e joguei e sigo jogando com amigos quando posso. A diferenca que para mim o futebol e apenas uma pratica esportiva como corrida ou ciclismo, uma excelente oportunidade de me socializar, espairecer a mente e exercitar o corpo. Nao vejo com o intuito de competir. Mudei minha perspectiva como muitos que conheco que ja mudaram. Apenas me dei conta que sofrer por alguma equipe nao era algo racional e saudavel e me afastei dessa “ catarse coletiva”. No post que escrevi sobre cidadania eu destaco a diferenca que eu encontro entre inglaterra e os paises latino americanos.Cada dia aprendo mais sobre o comportamento humano. Ou melhor cada dia fico mais espantado com as coisas que vejo. Ha coisas que despertam minha curiosidade como por exemplo saber porque os Ingleses devotam tempo pra ajudar e participar de movimentos de voluntariado, mas ao mesmo tempo seguem indiferentes aos seus vzinhos e ate familiares. Talvez pensem que seu vizinho ja esta bem e nao precise de ajuda financeira como as criancas da Africa, mas creio que esquecem que pessoas – mesmo sendo “auto-suficientes ” como eles- necessitam se um pouco de atencao e afeto. Existem muitas diferencas sutis que voce so ira perceber depois de viver durante um tempo aqui neste pais. Eu tenho alguns bons amigos ingleses e gosto de observar estas diferencas , nao so de comportamento, mas na forma de pensar. Vejamos um exemplo tipico, sem querer generalizar, logicamente, mas no Brasil, era comum ver amigos em debates acalorados sobre futebol ou politica que duravam horas. Um dos meus amigos ingleses aqui e fa do Chelsea e o outro do Liverpool e a conversa (nao discussao) mais longa que eu presenciei durou uns poucos minutos. E somente usavam argumentos logicos, nada de emocao e ou sarcasmo ou ridicularizar o adversario. Mesmo quando “tiram sarro” do adversario e sempre de forma bastante “leve “ para os padroes latinos como por exemplo rimarem cancoes no estadio para debocharem dos torcedores do Liverpool por terem um dos mais altos indices de desemprego . Ataques racistas sao muito mau vistos apesar de acontecerem as vezes mais por torcidas de times considerados “rough” (duroes) como o mal falado Milwall (maior concentracao de hooligans da Inglaterra). Pra voce ter uma ideia, o lema deles escrito na bandeira e “ Todos nos odeiam, mas nao estamos nem ai”. Dificil de acreditar, mas existem essas pessimas excecoes por aqui. Fora isso, ha paixao, mas nao fanatismo.Outro dia assistindo o jogo da Ingaterra, quem mais fazia barulho e conversava eram os brasileiros , os ingleses estava bem tranquilos assistindo o jogo como se fosse um filme, mesmo quando tomaram o gol nao demonstraram muito constrangimento. Essa “frieza” e “serenidade” frente as dificuldades observadas numa simples patida de futebol e que eu creio ser um fator crucial na maneira como este pais funciona em relacao a qualquer outro pais da america latina. Eu procuro ver o lado bom em tudo ,mas sei que frieza demais pode ser ruim em alguns casos assim como emotividade demais . No Brasil pessoas matam por causa do fanatismo pelo futebol. Torcedores se acham no direito de agredir todo e qualquer um que se oponha as suas crencas fundamentalistas ou que profanem suas igrejas. Todos fazem isso? Nao, e que continue assim. Muita gente boa apenas curte o esporte e tira proveito dele. Mas existe uma grande fatia que joga toda sua agressividade naqueles que ousam vestir uma camiseta de cor diferente da sua. Se ilude quem ainda acredita na famosa frase “o importante e competir “. E um conceito piegas, cliche hipocrita e fora de moda. Hoje todos so querem ganhar a todo custo, aniquilar seu adversario para mostrar sua superioridade. Isso esta em toda parte em qualquer area da vida. Ate os grupos religiosos se degladiam para provar quem esta “certo”. Um dia pode haver existido esse filosofia mas hoje, o dinheiro e a fama sao a mola propulsora da cultura ocidental e tambem oriental.

Sinceramente, eu espero que um dia isso tudo seja coisa do passado e que as pessoas logo se deem conta de que a intolerancia ao que e diferente chegou ao limite do suportavel. O futebol e qualquer outro esporte sao atividades saudaveis e que nos trazem muitos beneficios fisicos, mentais e emocionais, mas ele se tornou para muita gente a razao de existir, uma doenca ou deficiencia como a cegueira que nao tem cura. Saudades do futebol dos anos 70 que pelo menos tinha um certo romantismo!.

Nenhum comentário:

Postar um comentário