segunda-feira, 24 de maio de 2010

O que seria desta cidade sem os parques e seu rio?

(texto sem acentuacao)

Qualquer um menos avisado chegando em Londres neste final de semana poderia pensar haver desembarcado na cidade errada. O ceu completamente azul com uma temperatura acima dos 30 graus celsius e com os parques, que nao sao nada prequenos e numerosos, estavam simplesmente apinhados de gente preenchendo cada espaco livre assim como nas praias de toda a costa inglesa.

Viajei por muitas cidades brasileiras de norte a sul , pequenas e grandes e jamais presenciei uma valorizacao e cuidado tao grande por seus parques e rios como vejo aqui. Londres e uma cidade dinamica, de muita cultura, de muitos negocios , mas o grande charme na minha opinao e conseguir combinar este gigantesco espaco urbano com uma natureza privilegiada que a torna mais humana. A paixao dos ingleses por seus parques e contagiante. Quando chegamos aqui nao demoramos muito a comecar a frequenta-los e curti-los de todas as formas possiveis, seja passeando a pe, de bicicleta, fazendo esportes ou mesmo juntando a familia e amigos para um pic nic.
Por que existe essa diferenca cultural? Antes de pensar que e pelo fato da cidade nao ter praia, eu poderia citar o exemplo de muitas cidades brasileiras que estao a centanas de kilometros do litoral e mesmo assim as pessoas nao vivem tao intensamente a cultura do parque nos seus momentos de lazer.

Alem da beleza da vegetacao , eu diria que alguns fatores fazem uma grande diferenca e estes sao a seguranca, a estrutura, organizacao e limpeza.

Os parques tem portoes que abrem e fecham em horarios fixos e sao monitoriados constantemente por guardas dos proprios bairros e ainda policiais. Existem delimitacoes para certos esportes como bicicletas, jogos de cricket, skate ou patins. As areas de playground sao muito bem cuidadas e seguras. Existem cafeterias e restaurantes de otima qualidade dentro ou proximos . Muitos parques tem lagos ou canais que permitem passeios de barco , caiaques, pedalinhos e ate banho. Os sanitarios publicos sao impecaveis e pessoas que jogam lixo sao multadas.

Cada parque Londrino teu sua personalidade e atracoes proprias. O Hyde Park localizado no Oeste e gigantesco e tem lago enorme onde se pode andar em barcos a remo. Ele fica proximo a area dos hoteis e comercio de luxo la acontece todos os anos o festival de musica “ Hard Rock Calling” atraindo milhares de pessoas para os shows de grandes artistas ao ar livrre. Na area central, logo acima de Baker Street se encontra um dos mais belos parques ,com seu grandioso zoologico e lindos jardins, o Regents Park. O Hampstead Heath, localizado ao norte e quase como uma floresta no meio da cidade com vegetacao mais selvagem e rodeada por grandes mansoes onde vivem celebridades como Elton John e Sting. No sudeste se destaca um dos maiores e mais famosos Parques Reais , o Greenwich Park , e onde se situa o Observatório Real partir do qual é definido o Meridiano de Greenwich. No leste temos o Victoria Park , que apesar do nome nao e um parque Real, mas que abriga diversos shows durante o ano e esta proximo da area da cultura alternativa londrina.

Apesar de eu morar quase ao lado do parque de Greenwich eu costumo conhecer a cada final de semana um parque diferente rodando em minha inseparavel bike.

Nao importa onde voce ira morar aqui sempre havera um parque proximo e se cansar dele e so se mexer um pouco e conhecer outro.

domingo, 16 de maio de 2010

Cursos de férias em Londres: Uma alternativa para as novas regras

Quem acompanha os acontecimentos políticos aqui na Inglaterra sabe um pouco das propostas políticas do novo primeiro ministro, mas o assunto de maior interesse para a grande parte dos estrangeiros que residem aqui são as medidas que poderão ser adotadas para conter o fluxo imigratório no pais . Ninguém sabe ao certo como ficara a situação em curto prazo por isso as coisas seguem aparentemente normais salvo para aqueles que estão querendo vir estudar, seja para cursos de língua ou de formação acadêmica As novas regras são muito mais rígidas e quase proibitivas para muitos estudantes que tinham ate há pouco tempo algum potencial de obter visto de estudante. Como a questão agora não e apenas econômica, mas também de conhecimentos da línguas , não adianta apenas ter uma situação financeira favorável, mas também um bom nível de comunicação em inglês . Quem deixou para aprender inglês depois de vir para cá devera mudar a sua estratégia e dedicar algum tempo passando por estágios mais básicos ate chegar a um nível intermediário. O tempo necessário mínimo seria de 300 horas de estudo. Seguindo um curso padrão no Brasil de 3h por semana seriam necessários quase 3 anos de estudo pra atingir o requisito básico exigido pela nova regra de vistos. Se você acha que e muito tempo e não quer esperar tanto assim, uma boa alternativa seria vir para cá e fazer um curso de férias de 4 semanas e com isso conseguir adiantar quase 80 horas de aulas ( 4 h de aula por dia). Você pagara entre 550-700 libras por um curso com esta carga horária. Alem de poder praticar todos os dias na escola ainda terá contato direto com a língua fora da sala de aula. Alem de avançar alguns degraus você terá a oportunidade de ver como a vida e aqui e se preparar melhor para tentar depois entrar como estudante e permanecer um período muito mais longo. Para se matricular em uma escola por 4 semanas não há necessidade de solicitar visto, basta apenas obter uma carta da escola e apresentar na entrada do pais. O seu passaporte será carimbado com um visto de visitante/ estudante. Embora este tipo de visto não permita trabalhar, ele possibilita que você possa estudar numa escola já que sem esse carimbo as escolas de inglês não aceitam mais matriculas. Não creio que as regras fiquem piores do que já estão para os estudantes, mas o lado positivo e aqueles que vierem não irão mais correr riscos de serem passados para trás por certas instituições, restando somente escolas decentes no mercado consideradas pelo governo como de “alta confiabilidade” . Para quem quer entender porque estao passando um "pente" fino nas escolas, assista a este video: