domingo, 29 de novembro de 2009

Tudo termina no custo..nao caia nessas armadilhas!

Muitos me consultam para saber mais sobre como e viver aqui e que escolas são boas ou bairros mais interessantes. Mas, no final o que eu mais tenho notado e que quando perguntam sobre escolas, a maioria esta realmente interessada só na questão “preço”. Alguns poucos realmente querem investir mais num ensino de qualidade. Não significa que as escolas tenham que ser caras, longe disso, mas não estão muito motivados a ter que investir mais para garantir uma boa educação e se livrar de problemas futuros. O que seria essa boa educação? Simples, um curso onde os professores são dinâmicos, comprometidos, onde o conteúdo programático e metodologia realmente sejam atualizadas (focada na conversação e não na estrutura gramatical, por exemplo) . A grande maioria dos interessados usa como base o que encontra no site, e essa é uma armadilha. Qualquer empresa hoje faz um site com design moderno e cheio de conteúdo, mas quantos sites realmente mostram fotos?. Você ira se dar conta que a maioria das escolas não coloca fotos de suas instalações? Por que será?.

Sobre as escolas, não considero que os cursos de inglês aqui sejam melhores do que no Brasil. A grande diferença é carga horária intensa e a possibilidade de poder praticar a língua fora da sala de aula no dia a dia. Mas o que acontece aqui, em muitas escolas, é que o numero de professores não são nativos da língua. O caso de haver muitos brasileiros numa escola é prejudicial no sentido de que existe uma tendência a se falar o português a fazer muitas amizades logo na chegada.

Não é ruim ter amigos do seu país, mas no estágio inicial, quando ainda o estudante não tem um grau de conhecimento suficiente da língua, ele acaba se acostumando a não se esforçar tanto. Há casos e casos, não são todos, mas garanto que a porcentagem de pessoas que estão aqui há anos e ainda não são fluentes é de ficar estarrecido. Por que isso acontece? por diversos motivos, mas principalmente pela zona de conforto que muitos ficam convivendo somente com seus conterrâneos e não tendo necessidade de interagir com a cultura local. Quando me pedem dicas de escolas eu dou somente das que eu conheço muito bem. Porque sei que são serias, tem excelentes resultados que eu comprovei através de dezenas e até centenas de alunos. Não e algo aleatório. Mas muitos acabam seguindo o conselho do fulano X, Y Z que nem sempre e a pessoas mais indicada para falar sobre ensino. Minha experiência me mostra que o melhor e você sempre seguir ou ao menos embasar informações através de especialistas, não importa a área. Se eu quero estudar numa escola e meu amigo que eu sei que é um tanto preguiçoso reclamar dela, eu não levarei em consideração, pois ele estará sendo parcial. Me desperta muita curiosidade essa inseguranca.Por outro lado,se consultar um agente de intercâmbios no Brasil é certo que ele irá oferecer os serviços que ele ganhara mais e não necessariamente o que melhor se adequaria a sua situação financeira e seus conhecimentos da língua. Aliás, a maioria nem tem noção de ensino e indicam escolas de forma aleatória. São muito poucos os agentes que eu conheci que tem essa preocupação clara. Vale a pena conferir com calma e visitar alguns. Muitos agentes nem conseguem identificar o perfil do seu cliente e ver que seu estilo de vida as vezes sendo mais sofisticado, jamais se adequaria a uma escola “ simples” num bairro desinteressante. Essa sensibilidade é fundamental pra sempre chegar a uma margem mínima de erros quando se indicam escolas ou serviços em geral como acomodações, receptivos, pontos turisticos, etc. Se for para escolher um agente, e crucial que este tenha vivido aqui e saiba considerar todos estes pontos. Caso contrario, será um mero intermediário e isso não é necessário, pois você pode fechar tudo diretamente pela internet. Não acredite que fazer tudo através de agentes facilite o processo de visto. Se quiser que isso aconteça, contate diretamente um Agente de Vistos que estes são realmente especialistas no assunto. Quando se compra com um agente de intercâmbio tem que exigir dele todo este know- how sobre o lugar que você estará visitando. E obrigação do agente prestar-lhe estas e outras informações. Caso contrario, não faz sentido. Fique muito alerta com os oportunitas. Cada dia recebo contato de pessoas reclamando que o agente nao informou sobre informou sobre os problemas que teria entrando aqui com visto de turista ou renovando o visto de estudante. Na hora de vender tudo vale. Se aplica o famoso “ chegando lá você resolve” . Contudo, na vida real e muito diferente. Tenho auxiliado muitas pessoas depois que elas ja estao aqui encrencadas. Eu poderia citar o nome de 2 agencias de intercâmbio no Brasil que fazem isso toda hora e ainda acham que prestam um excelente serviço. Simplesmente patético. Eu nao posso salvar o mundo, mas ao menos me encarrego de denunciar empresas que ludibriam as pessoas.

Mas, voltando a questão das escolas, acomodações e dicas, parece que tudo que conta e o preço. Só que eu pergunto: o que adianta viver num bairro mais afastado para economizar no aluguel se a pessoa ira gastar mais em transporte e perder mais tempo se locomovendo? De que adianta pagar uma escola ruim (felizmente estão fechando varias) se ao invés de estudar 10 meses ela precisara 20 meses? Sinto que falta uma análise mais cuidadosa de todas estas variáveis. Para mim cada vez fica mais claro de que o famoso dito popular “ o barato sai caro” e muito verdadeiro. Existe outra expressão aqui do tipo: There’s no free lunch”. (não há almoço grátis), isto é, tudo na vida tem seu preço. Quer conforto?pague por ele. Quer rapidez? pague por ele. São raras as vezes que conseguimos algo perfeito sem termos que pagar o preço correspondente. Mas, acho que isso e uma mania muito brasileira de querer tudo pelo mínimo. Parece que quem pagou caro por algo esta fazendo o papel de “ trouxa”. Acho que aqui entra a questão de inteligência e a pesquisa de preços. Se você esta comprando o mesmo produto ou serviço que outra pessoas , mas com um custo mais baixo, neste caso você foi precavido e esperto em ter pesquisado, porem querer comparar preços sem considerar a qualidade destes itens não e algo muito sensato. Não se pode comparar estudar numa escola que tem só 10 alunos por sala de aula, num ótimo bairro, com uma excelente infra-estrutura com uma metodologia de ponta com uma escola familiar lotada de alunos com o mínimo de estrutura. Já vi inúmeros casos de pessoas que se matricularam em escolas ruins em bairros péssimos só porque eram muito baratas. O resultado foi ter que amargar um ano estudando 3 h por dia num ambiente que a pessoa não gosta e isso e uma tarefa árdua. Gosto de recordar que uma vez estando aqui como estudante (student visa) se você resolver não ir mais para a aula, é questão de alguns dias para ser denunciado para o “home office” correndo riscos de ser deportado. Para eles, o aluno veio aqui estudar, não trabalhar.

Planejar não e outra característica do Brasileiro. Ele esta acostumado a comprar tudo em prestações. Isso era algo que se fazia nos tempos da inflação quando o consumidor não sabia se juntando com antecedência ela teria o valor suficiente para adquirir algo. Hoje, isso não faz mais sentido. Se a intenção e realizar uma viagem daqui a 12 meses é mais lógico se começar a poupar desde hoje para comprar a vista, sem pagar juros ridículos de alto que qualquer europeu não conseguiria acreditar. Neste pais comprar a prazo somente produtos de alto valor, como automóveis, propriedades e não me recordo o que mais. E tudo direto e dependendo do lugar as vezes somente em espécime. Usar cartão de credito acarreta uns juros de 3 a 4%. Passagens aéreas são pagas a vista. Causam-me espanto os valores praticados no Brasil. Os juros aplicados são patéticos e seria aqui um caso de polícia. Na minha visão isto é roubo institucionalizado. O problema é que todos se acostumaram a viver dessa maneira e acham natural ter que comprar tudo em varias vezes e mesmo tendo dinheiro para comprar a vista. Inexplicável para um europeu este costume. Um dia irei escrever sobre um dos fatores que contribuem para os preços serem tão altos ai para certos bens de consumo e posso adiantar que não se relaciona somente ao que todos dizem, que o imposto é alto. Mesmo que os impostos baixassem eu duvido que os automóveis, roupas , passagens aéreas e hotéis baixassem de preço. E se alguém ainda disser que acham acessíveis os preços das passagens aéreas no Brasil com estas “promoções” e porque nunca vieram para a Inglaterra para saber o que é realmente uma passagem aérea barata.

Um das dicas que dou para poupar frustrações é: se programe com antecedência, mas se a viagem for algo imprevisto de ultima hora, comecem analisando antes de tudo se você tem como cumprir todas as exigências para obter seu visto como estudante. Não adianta ir pesquisando cursos, escolas, acomodações se não terá como vir estudar. Daí e frustração na certa.

Um comentário:

  1. compreendi a mensagem... eu não ficarei na zona de conforto... a vida toda fui um atleta e nunca aceitei ser mediocre, quero sempre mais e aproveitar o maximo possivel... talvez tenha recebido informações erradas, talvez eu nao tenha planejado o suficiente... sei lá. só sei que irei sim, aproveitar meu tempo aí e voltar falando ingles.

    obrigado mais uma vez.

    ResponderExcluir