quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Por que você escolheu Londres?

Através deste espaço eu tenho a oportunidade de conversar com muitas pessoas interessadas em vir para Londres. Observo que as principais razões que as impulsionam para esta aventura são:

1) Ganhar fluência no idioma;
2) Conhecer novas culturas;
3) Viajar pela europa.

Fazer dinheiro? Bem, raramente ouço alguém dizer que a intenção da viagem é fazer um pé de meia, embora, muitos, de forma subconsciente, acreditem que poderão unir lazer, viagem, estudo e ainda fazer uma pequena fortuna. Isso não significa que não existam pessoas que vieram e ficaram, ilegalmente em muitos casos, e engordaram suas contas bancarias trabalhando anos seguidos sem tirar férias e se privando de qualquer espécie de conforto e de todas as maravilhas que a cidade oferece em termos de educação e lazer. Muitos chegaram aqui no final dos anos noventa e conseguiram poupar algo para enviar a suas famílias ou realizar algum investimento pessoal. Contudo, costumo dizer que, na maioria dos casos, nos dias de hoje, o que se ganha aqui fica aqui.

Não é minha intenção dizer o que você dever fazer aqui e como viver sua vida. Os motivos e escolhas são pessoais. Cada um sabe o que é melhor para si e se ainda não sabe, e apenas por falta de conhecimento ou experiência. O que eu posso fazer e trazer algumas experiências pessoais que em muitos casos servem de alerta ou sugestões de como melhor aproveitar a viagem.

Vir a Londres para ganhar dinheiro é uma armadilha. Num primeiro momento parece tentador receber em libras e converter para a moeda brasileira. Ganhando na moeda local o custo aqui é proporcionalmente mais baixo do que no Brasil, com exceção da moradia e prestação de serviços (limpeza, pintura, jardinagem, etc). Você consegue aproveitar a cidade muito bem com um salário básico. Porém, é importante esclarecer este assunto:

Como estudante você não poderá trabalhar mais do que 4 horas por dia. Imaginemos que você consiga trabalhar 4 horas de forma legal, em algum restaurante ou bar e outras 4 horas ou mais (considerado ilegal) na casa de alguém baby-sitter, ajudante de pessoas idosas, etc. Vamos pensar que você consiga poupar um valor suficiente para se manter aqui e ainda sobre um pouco para viajar e voltar ao Brasil com as contas pagas da sua viagem. Na maioria dos casos os estudantes conseguem um ano de visto, ou dois no máximo. Há casos de alunos que conseguiram três e até quatro anos, mas isso é a exceção, não a regra. Considere que você conseguiu 2 anos, o que um bom tempo de permanência.

Se você fizer as contas no papel irá chegar a conclusão de que para juntar uma quantia extra, suficiente para comprar um automóvel zero no Brasil ou dar uma entrada na compra de um imóvel você terá que fazer um esforço gigantesco. Isso inclui abrir mão de viver em melhores condições, realizar pequenas viagens pela Europa, fazer cursos profissionalizantes, curtir a vida cultural, sair a noite, etc.

Um exemplo típico que posso dar e o do estudante brasileiro que vive há mais de dois anos aqui e que veio inicialmente com o propósito de aprender a língua. No fim, ele se empolga e consegue vários “bicos” e durante este período ele só trabalha em funções que não acrescentam nada ao seu CV. Não tem tempo de estudar, pois esta sempre cansado, vai à escola no mínimo de horas que pode, não interage com a cultura local, não tem tempo de viajar ou fazer turismo local, não aprende o idioma, enfim, só consegue juntar dinheiro. Ele acaba ficando escravo do sistema porque enquanto vive neste país, qualquer tipo de atividade rende uma remuneração decente, mas muitas destas atividades no Brasil não são valorizadas e ele acaba voltando sem qualquer qualificação profissional e educacional. Sem uma experiência rica e com fluência zero na língua este dinheiro que ele conseguiu fazer aqui em 2 anos logo evapora.

Minha visão e de que se você não pode ou não quer ficar vivendo por aqui o ideal e usufruir durante sua estada tudo que a cidade tem a oferecer para seu crescimento. Estes frutos você poderá colher depois em seu pais, conseguindo uma melhor colocação em sua empresa ou um novo emprego ou mesmo começando seu próprio negócio com novas idéias. Mas, como eu coloquei antes, cada um pode e deve assumir suas escolhas.

São infinitos os caminhos que podemos seguir, mas não importa qual escolhemos, se fizermos a pergunta “Por que?” teremos dado um passo a nos tornamos mais consciente de nossa decisão.

2 comentários:

  1. Oi, te enviei um email para esse endereço do msn que tem no blog.

    Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  2. Gostei da sua forma de escrever...
    vou te favoritar para te espiar sempre...

    Parabens!

    ResponderExcluir