terça-feira, 18 de agosto de 2009

Por que não vemos garçons em um PUB?



Não poderia escrever sobre a vida nesta cidade sem dedicar algum espaço a uma atividade central na cultura inglesa, frequentar um PUB. Um brasileiro poderá jamais ter entrado em um barzinho na sua vida, o que e um tanto improvável, mas aqui será simplesmente impossível evitar. Por esta razão é que pretendo explicar aqui certas regras de comportamento comuns nestes ambientes (não mais esfumaçados) para ajudar a entender um pouco mais sobre os ingleses e esta cidade.

A Public House, conhecida por Pub, é uma instituição inglesa. Sua importância histórica até os dias de hoje não pode deixar de ser enfatizada. Ela ultrapasse os limites do simples divertimento para servir a outro propósito: um espaço sagrado de interação social. O Pub é um dos raros locais onde é convencionalmente permitido iniciar uma conversa com um estranho. Contudo, existem certas “regras” de comportamento e muros invisíveis a outros estrangeiros. Apesar de ser um momento de diversão, de quebra das normas diárias de privacidade, esta liberdade se restringe a determinados espaços: ao balcão do bar. Como isso acontece? Você irá perceber que neste país se faz fila (e se respeita) para tudo, com exceção na hora de pedir uma bebida. E justamente neste momento um tanto confuso e neste espaço confinado que eles aproveitam para flertar, comentar, brincar, trocar sorrisos ou puxar uma conversa com alguém. Esta descontração se estende não muito além das mesas próximas ao balcão. As mesas que se encontram mais afastadas são vistas como áreas privadas.

Isso tudo pode parecer esquisito, incomum, ate exagerado, mas depois que você entende o alto grau de timidez do povo inglês e a necessidade de ter regras, as coisas começam a fazer mais sentido.

Os pubs são frequentados por pessoas de todas as idades, classes sociais e níveis educacionais. Eles seguem fechando as 23h30, com o ultimo pedido até as 23h. O horário de pico é entre 17h e 19h. Para pedir uma cerveja, não peca uma “beer” como nos Estados Unidos. Aqui se pede uma PINT (medida de 425mil) + tipo/marca de cerveja. Ex: Can I have a pint of lager/Stella Artois, please?. Certamente você não tem este costume porque no Brasil se pede somente pela marca do produto. Para facilitar sua vida veja os tipos mais comuns de cerveja: LAGER, BITTER, ALE e STOUT (Jogue no google para saber mais sobre cada uma delas, caso tenha interesse no assunto). A mais próxima das cervejas brasileiras, como a Brahma ou Antártica, são as “Lagers”. Um exemplo de cerveja “stout” e a famosa Guinness, que e muito consumida aqui e é uma paixão dos irlandeses.

Para chamar a atenção do atendente o ultimo que você devera fazer e gritar, gesticular e muito menos reclamar se houver demora em ser servido. Aqui prevalece outra das regras invisíveis de conduta em um pub: somente os frequentadores habituais tem esse privilégio. Se você não faz parte dessa categoria, então basta um simples contato de olhos segurando o dinheiro ou copo vazio na mão para que ele perceba que você esta aguardando ser atendido. Não poupe a palavra “please” e nem “thank you”.

Há pubs que eu costumo chamar de “só para locais”, onde, embora não esteja explicito isso, nem todos são bem vindos. Já tive experiência de entrar nestes locais de bairros e sentir uma certa indiferença e até hostilidade no tratamento. Alguns destes pubs reúnem uma pequena minoria de ingleses mais radicais que ainda ostentam nos vidros de seus carros as bandeiras de *Saint George (patrono da Inglaterra) como um escudo pra se diferenciar do resto do mundo. Com o tempo você saberá distinguir em quais não deve entrar.

Muitos pensam num tradicional pub inglês de esquina, todo acarpetado, escuro, com aquele enorme balcão de madeira. Estes ainda existem e alguns apesar de terem mais de 250 anos, estão em perfeito estado e são charmosos. Mas se vê cada vez mais pubs com um estilo moderno, com uma decoração mais leve e em locais com vista para o rio Tamisa. Alguns pubs por estarem localizados próximos ou no coração dos centros de negócios (Canary Wharf, City, etc) costumam atrair um perfil mais executivo de frequentadores durante os horários de pico, para o famoso happy hour. Homens de terno e gravata são a maioria, mas se você chegar vestido de bermudas não será mal atendido e ninguém irá notar sua presença. Outros pubs em bairros mais “alternativos” como Brick Lane ou Camdem Town,atraem grupos mais descontraídos de pessoas de todos os estilos de vida e profissões. Os preços costumam ser ligeiramente mais baixos do que estes pubs executivos e muitos apresentam DJs ou bandas tocando ao vivo.

Se você até aqui entendeu a quantidade de pequenas regras, códigos de condutas e hábitos que existem neste pequeno universo etílico, e o papel que ele exerce na cultura local, vai entender porque a presença de um garçom que acomoda os clientes em mesas separadas e toma pedidos e tão dispensável.

***O livro Watching the English por Kate Fox é uma excelente fonte para conhecer a fundo a cultura inglesa.

3 comentários:

  1. Sem contar a grande quantidade de pints que o povo daí consome em poucas horas, né? Enxugar é pouco. Beijos

    ResponderExcluir
  2. prezado Vladimir Koscina,

    Hoje entrei no seu blog pela primeira vez de tanto fuçar o orkut e procurar algo mais esclarecedor sobre como viver em londres. Agora sempre estarei por aqui para dar uma olhada...parabens pelo blog, seus artigos são de uma clareza impressionante e de uma sensibilidade contagiante, falo isso porque nesse artigo sobre os pubs vc percebeu detalhes que somente quem entende do assunto entenderia. agora deixa eu terminar que eu ainda preciso me atualizar no seu blog..tem muiiiiiitos artigos para eu ler...srsrs..thanks;;

    ResponderExcluir
  3. Tu estás cada vez melhor!!!
    Pq ainda não és seguidor de meus blogs??

    ResponderExcluir